MachineCast #84 – Lendas Nostalgicas

Saudações amigos ouvintes, historiadores de lendas urbanas e contadores de lendas geração após geração!

Mais uma incrível e nostálgica viagem da Velha Máquina tem início, e essa viagem é, literalmente, lendária!

Rezam as antigas lendas que, em uma época anterior à internet e ao boom tecnológico do século XXI, um grande número de histórias, causos e lendas eram passados de forma verbal, de pais para filhos, geração após geração. Algumas dessas lendas são tão antigas quanto a própria história, algumas são recentes e juramentadas de terem ocorrido com um conhecido de um conhecido. O fato é que, sejam verdades, mentiras ou histórias para assustar as pessoas, as lendas fazem parte da cultura de todas as sociedades através do globo.

E é pensando justamente nisso, e embarcando nos sentimentos nostálgicos mais maravilindos e ateradores possíveis, que os Machines embarcam nessa viagem relembrando velhos mitos, causos e lendas!

Será que leite com manga mata? Existe mesmo uma bola de fogo que protege ouro enterrado? Os vídeo-games queimavam as antigas TVs de tubo? Somente ouvindo o Machinecast para descobrir!

REZA A LENDA QUE A NOITE É UMA CRIANÇA…

 


Player e Download:

Quer Zipar seu MP3? Copie o link e cole [AQUI]


Equipe:

 

 

 

 

 


Mencionados no Episódio:


E-Mail – contato@machinecast.com.br

Twitter – @machine_cast

Facebook – facebook.com.br/machinecast

Alvanista – @machinecast

Google+ – https://plus.google.com/MachinecastBrasil

Canal no YouTube – MachineTube

Telegram – Machines (Integrantes e Ouvintes)

Comente pelo FaceBook

comentarios usando FaceBook

  • Tiago Ramos Melo

    Reza a lenda que 3 pessoas foram buscar histórias do passado para contar num áudio gravado e desvendando os mistérios dessas lendas e com isso foi uma hora de tanto suspense e curiosidade dos membros que se transformaram em “Os machines caçadores de lendas”.

    Engraçado que nossa cultura é muito forte pra trazer várias lendas, tanto criadas por nossas e também pegando de outros países, mesmo sendo eles verdadeiros ou falsos, histórias como o ET de Varginha que virou sucesso de mídia e que fez a cidade entrar numa fama tão absurda (que ainda prevalece nos dias atuais) que pensa que o conto daquelas mulheres ainda rendeu e podendo ser verdadeira, claro que só quem acredita quem quer……não desmerecendo o feito (risos).

    Bem, sendo verdadeiros ou não, a humanidade tem que ter algo que possa ser passado de geração a geração mostrando como o ser consegue criar coisas e usar a imaginação pra trazer coisas que são fora de contexto do nosso dia a dia. Parabéns pelos envolvidos e reza a lenda que dão Vida Londa e muito próspera para essas lendas não morrerem no esquecimento. Até a próxima!

    P.S. – Reza a lenda que no CoT, o Zuppão vai ser o último samurai da velha máquina (tirando o Filhote) que vai reinar nas futuras batalhas e triunfará e deixar seus adversários no chão.

    • Valeu Tiago!

      Da forma como você comentou, lembrei inclusive de alguns casos onde o povo realmente planta uma lenda pra benefíco coletivo ou pessoal. Pessoal gosta imaginação…..

      Quanto a lenda do COT o importante é o fato é que estou em último convicto 🙂

      Abração

  • Darley Santos

    A lenda da loira do banheiro parece abranger todo o território nacional! Aqui na escola onde estudei, uma das unidades da Fundação Bradesco, lugar grande pra danar situado na beira do Rio Araguaia, ninguém se atrevia a ir, mesmo que durante o dia, às imediações do extremo norte da escola… Pois uma mulher LOIRA aparecia por lá várias vezes, e isso os próprios guardas da escola faziam questão de assegurar… Claro que não acredito em uma vírgula dessas coisas, mas que mexe com nosso psicológico isso é!

  • Pedro H. de Barros

    Manos, a lenda da loira do banheiro realmente deve ser nacional. Caramba, lembro-me disso até hoje. Eu morava ao lado de uma escola e da minha casa para vê-la. Às vezes eu subia em cima da laje de casa e ficava olhando para tentar identificar algo estranho..rsrsrs. Claro, nunca vi nada. Mas morria de medo. E as crianças mais velhas alimentavam essa estória, falando que tinham visto. Enfim, eu morri de medo disso. Onde eu morava também tinha a lenda dos palhaços que pegavam crianças para vender os órgãos. Falavam que eles andavam nas velhas kombis. Tenso. Valeu pelo cast, camaradas!